stack_of_books

5 histórias que valem um mergulho

Nesse post da semana passada eu falei que um dos segredos da longevidade é ler. Mas não ler qualquer coisa, e sim histórias realmente boas e bem contadas. Eu sempre estou atrás de uma boa história pra ler. E o engraçado é que não costumo muito ir atrás dos clássicos, geralmente prefiro simplesmente ver o que é que o acaso me reserva. E já tive surpresas muito boas ao pegar um livro aleatório da estante da livraria, simplesmente porque achei o título intrigante ou a capa interessante.

Eu não costumo ir dormir sem ter lido pelo menos um pouquinho, e às vezes sinto que estou vivendo duas, três vidas ao mesmo tempo. É fantástico! Por causa isso, muitas vezes as pessoas vêm me pedir indicações de livros. Então aqui eu fiz isso: listei os 5 livros mais me marcaram recentemente (não necessariamente os últimos que eu li). Espero que gostem e se sintam inspirados também a cair de vez nesse maravilhoso mundo dos livros!

 

TNPLTrem Noturno para Lisboa de Pascal Mercier

Raimundo Gregorius é professor universitário de línguas clássicas. Leva uma vida bem normal (e entediante) em Berna, Suíça, apesar de ser extremamente inteligente e culto. Um dia, ele simplesmente sai da sala, no meio da aula, e parte em um trem para Lisboa. Assim, como quem decide ir ao banheiro. Tudo isso por causa de um livro de Amadeu de Prado e uma palavra: “português”. Tudo o que ele quer é saber cada vez mais sobre esse médico autor de reflexões profundas e dono de uma visão de mundo nada convencional.

Toda vez que alguém me pede uma boa indicação de livro, eu indico esse. É uma história marcante sobre “não ter nada a perder”, sair da normatividade para viver o presente. É um verdadeiro mergulho em reflexões sobre a vida, a morte, os relacionamentos e tantas outras coisas, além de ser uma história interessantíssima. Indico para todos que queiram ter um bom material para se perder.

 

TIWILYThis is Where I Leave You (Sete Dias sem Fim, em português) de Jonathan Tropper

Judd Foxman é o retrato da tragédia: em poucos dias ele descobriu que era traído pela esposa com o próprio chefe, obviamente terminou o casamento e ainda por cima perdeu o emprego. Ah, e como se não bastasse, o pai dele morreu, e seu último desejo foi que toda a sua família se reunisse para cumprir Shiva, ou seja, um período de 7 dias de luto, segundo os preceitos da tradição judaica. Como se tudo o que ele mais precisasse no momento fosse passar 7 dias em uma casa, vivendo e revivendo todos os tipos de dramas e emoções típicos das reuniões de família, só que elevados à sétima potência.

Esse livro é simplesmente hilário. Uma daquelas comédias que explora ao máximo o conceito de “é sério que isso tá acontecendo?”. Tragicômico é a palavra que melhor o define. Li o livro em inglês, por isso confesso que não conheço a versão em português pra dizer se é tão boa quanto, mas creio que na essência deva ser.

 

OPRO Pássaro Raro de Jostein Gaarder

Ok, essa não é bem uma história, mas dez. Dez histórias de pessoas que, graças a algum acontecimento extraordinário, foram levadas para um mundo completamente novo de reflexões sobre a vida, a morte e a existência.

Esse foi o primeiro livro do autor de O Mundo de Sofia (que é, de todos os que eu li, o livro dele que eu menos gostei), e é simplesmente maravilhoso. Contém muitas referências a filosofias orientais como o Budismo, o que deixa tudo com uma tônica muito bela e interessante.

 

AADPAs Aventuras de Pi de Yann Martel

Quem não viu o filme, pelo menos já ouviu falar, e por isso sabe um mínimo sobre o que se trata. Um garoto indiano fica à deriva no meio do oceano pacífico, em um bote salva-vidas junto com uma zebra, uma hiena, um orangotango e, pra coroar, um tigre de bengala.

É uma história deslumbrante. Tem insights muito interessantes sobre os animais (inclusive aquele que nós somos), instinto de sobrevivência, amor, gratidão, entrega e Deus. Essa foi a primeira adaptação livro-filme que eu achei que o filme foi tão bom ou talvez até melhor do que o livro. Mas, apesar de o filme ser maravilhoso, o livro contém detalhes que não poderiam ser aprofundados no filme, e que são a cereja do bolo.

 

AYAutobiografia de um Yogi de Paramahansa Yogananda

Trata-se do relato de vida de nada menos do que um dos maiores yogis de todos os tempos: Paramahansa Yogananda. Recheado de histórias sobre santos e sábios da Índia e seus feitos extraordinários, é um livro capaz de mudar vidas, graças à sua linguagem simples sobre um tema tão complexo como a espiritualidade. E muda mesmo. Um verdadeiro clássico sobre autorrealização, recheado pela personalidade bem humorada, atemporal e não-sectarista de um verdadeiro mestre. Leitura obrigatória para quem deseja começar a enxergar aquilo que está um pouco mais além do que se vê.

E você, conhece algum dos livros indicados?
Qual foi o último livro que você leu que te marcou? :)

soteropolitana, estudante de vedanta, formada em design gráfico, criadora, autora e ilustradora do respire e seus yoginhos. acredita que ser feliz é coisa simples e que yoga é para todos.

Comentários pelo facebook

Comentários

3 comentários sobre “5 histórias que valem um mergulho

  1. Fiz minha primeira aula de yoga hoje e agora to louca pra ler tudo sobre o assunto, vou procurar este último livro que você indicou! Estou lendo o “A bíblia do yoga”, mas ele fala mais sobre as posturas, não tem muitas explicações sobre o que é a yoga.

    Posso aproveitar o comentário pra te perguntar uma coisa sobre yoga? Eu sou uma pessoa super ansiosa, do tipo que quer pular as etapas do começo e ir logo pro final, sabe? Espero que a yoga me ajude com isso, mas a aula que fiz hoje foi bem tranquila, com movimentos super leves, mais relaxamento, meditação e respiração, não teve alongamentos puxados nem nada muito difícil. É assim mesmo? Isso é o começo ou será que é o tipo de yoga que estou fazendo (Hatha Yoga)?

    Fique até com vergonha de perguntar pra professora e ela achar que eu sou desesperada, por isso to perguntando pra vc! hahaha

    Beijos!

    • oi Stephanie! eu tenho certeza que a prática de yoga vai te ajudar a lidar com a ansiedade, porque uma das coisas que você aprende é a abraçar o presente, do jeito que ele é.

      sobre o estilo da aula, Hatha Yoga é o nome genérico que se dá à prática de yoga através do corpo, seja ela com ênfase nas posturas ou não. o estilo da aula de Hatha Yoga vai depender muito do professor e de com quem ele estudou. existem, porém, nomes para outros estilos específicos derivados do Hatha Yoga que são mais focados nas posturas, como Power Yoga, que é um estilo mais vigoroso, Vinyasa Flow Yoga, que é mais fluido, Ashtanga Vinyasa Yoga, que é extremamente forte e exigente e Iyengar Yoga, que é muito focado nas posturas e no perfeito alinhamento do corpo.

      mas pergunte sim pra sua professora, porque não? pode ser que ela tenha pegado mais leve, porque é uma turma de iniciantes, ou pode ser que o estilo da aula dela seja assim. e também não tem problema nenhum em não se adaptar a um estilo específico de aula de yoga, é só experimentar outro até achar aquele em que você se sente melhor. :)

      espero ter ajudado! beijos!

  2. Ajudou muito! O método lá é Hatha Yoga e Ashtanga Vinyasa. Acredito que seja porque a turma é iniciante mesmo, mas vou perguntar pra professora direitinho. Mesmo assim, eu adorei. Saí da aula me sentindo super bem, mais “viva”, não sei explicar direito.

    Obrigada pela ajuda :)

    Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>