elefantes

A lei do karma e as escolhas

O que é a Lei do Karma? Toda ação gera uma energia que volta para nós em igual intensidade. Parece simples, e na verdade é. A palavra em sânscrito significa ação, e quem estudou física básica na escola sabe que toda ação tem uma reação. Portanto a lei do Karma é nada mais do que essa lei aplicada em todos os aspectos da nossa vida.

Tudo o que falamos e pensamos se projeta naquilo que fazemos e é recebido pelas pessoas, que nos devolvem a energia do mesmo modo.

Alguns pensam que a lei do Karma só opera no futuro. “Isso que estou vivendo agora deve ser algum karma passado”. Sim, ela opera desse jeito, mas sua principal ação é no único momento que realmente existe: no presente. Quer ver? Se você fala com alguém com raiva, querendo diminuir ou ofender a pessoa, além de receber dela uma resposta igualmente negativa, esses sentimentos continuarão com você mesmo depois que a ela já tenha ido embora. Ou seja, a raiva que você projetou para o outro continua em você. Pelo contrário, quando você projeta amor, bondade e compaixão, as pessoas sentirão e te devolverão isso, mesmo que elas não estivessem se sentindo assim antes. E você estará sempre nesse estado.


Na sessão Inspiração Diária do site do Deepak Chopra encontrei o ensinamento abaixo que achei muito interessante, e por isso resolvi traduzir livremente para vocês. Esse é também um trecho do livro de bolso “As Sete Leis Espirituais do Sucesso”, que também acho muito interessante e indico.

 

“Eu vou pôr a lei do Karma em prática através do comprometimento com os três passos abaixo:

1- Hoje eu serei testemunha das minhas escolhas a cada momento. E pelo simples testemunho dessas escolhas, estarei trazendo-as à luz da minha consciência. Eu sei que a melhor maneira de me preparar para qualquer momento no futuro é estar plenamente consciente agora.

2 – Sempre que eu fizer uma escolha, me farei duas perguntas: “Quais são as consequências desta escolha?” e “Essa escolha trará realização e felicidade para mim e para todos os envolvidos nela?”

3 – Eu então pedirei ao meu coração que me dê um direcionamento, dizendo se está confortável ou desconfortável com essa escolha. Se ela me soa confortável, então me entregarei a ela. Se ela me parece desconfortável, vou parar e observar as consequências dos meus atos através da minha visão interior. Esse direcionamento vai me permitir fazer escolhas espontâneas e corretas para mim e todos ao meu redor.”

Você não pode controlar a moral alheia, nem a forma como as pessoas agem, muito menos o que elas estão pensando por trás da máscara que projetam. E na verdade essas coisas nem deveriam te interessar.

A sua retidão deve estar acima da ação ou da resposta que você recebe do outro, pois assim você não gera mais karma. Se a sua atitude sempre for de bondade e compaixão em relação ao outro, esse será sempre o seu estado de espírito. E mesmo que as pessoas despejem energia negativa sobre você, elas não terão nenhum efeito. Assim você escapa da lei do Karma, assim você estará livre, pois deixará de ser escravo das ações do outro e o seu coração estará sempre tranquilo.

Namastê 😀

soteropolitana, estudante de vedanta, formada em design gráfico, criadora, autora e ilustradora do respire e seus yoginhos. acredita que ser feliz é coisa simples e que yoga é para todos.

Comentários pelo facebook

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>