aqui agora

Intensifique sua prática de yoga

Para mim, yoga é uma forma de viver. Da forma como se popularizou aqui no ocidente, muitos têm a visão de que o yoga é apenas um tipo de exercício físico que nos deixa relaxados e desestressados. De fato, isso é uma das coisas que o Haha Yoga, ou “yoga do esforço extremo”, pode ser. Mas pode ser muito mais que isso.

Citando o sábio Prof. Hermógenes,  “quem usa yoga apenas como ginástica – o que é muito agradável e eficaz – está comendo a casca da banana e jogando o miolo fora.” Ou seja, você pode utilizar o yoga como um exercício e ser muito bom. Mas se você levar a sério sua prática, buscando fazer dela uma verdadeira experiência, aí sim você vai começar a experimentar coisas extraordinárias.


Para mim, o Hatha Yoga (ou Power Yoga, Vinyasa, Ashtanga, Iyengar… seja qual for o nome e estilo) é um momento de verdadeira meditação em movimento. É fato que essa condição e percepção não acontecem da noite pro dia. No entanto, existem algumas atitudes que você pode incorporar à sua prática que podem te ajudar a aprofundar a experiência de forma natural e gradativa.

A ideia por trás do Hatha Yoga é que destravemos o nosso corpo através de determinados exercícios físicos e respiratórios, para que possamos acessar mais facilmente outros estados de percepção e consciência. Ao adquirir controle sobre o corpo, mais facilmente poderemos ter controle dos nossos estados mentais, e assim experimentar o que está além deles.

Abaixo eu enumerei algumas dicas de como aprofundar a sua prática de Hatha Yoga utilizando técnicas físicas e mentais que vão te ajudar a ter mais consciência do aqui e agora durante as posturas.

1 – ujjayi pranayama
A respiração ujjayi, ou respiração vitoriosa, é uma técnica que vem do Ashtanga Vinyasa Yoga, também utilizada no Power Yoga, mas que eu ensino a todos os meus alunos, independente do estilo. Por quê? Porque além de trazer mais intensidade à respiração, é uma excelente forma de focar a consciência no aqui e agora.

Trata-se de inspirar e expirar pelo nariz contraindo levemente a glote, de forma que você ouça e sinta o ar passando pela garganta e pelo palato mole (região do céu da boca onde fica a úvula). Caso não esteja conseguindo, você pode fazer dessa forma:

– Abra a boca e inspire e expire por ela, ouvindo o som que produz.
– Agora feche a boca e respire pelo nariz, tentando ouvir os mesmos sons.

Não precisa exagerar no volume, apenas faça de um jeito que você ouça o som da própria respiração. Assim, além de aumentar o tempo da sua respiração, fica mais fácil observá-la e manter a atenção presente, pois respirar durante a prática é uma ação constante.


2 – respiração intercostal

Significa respirar dando ênfase à expansão lateral das costelas. A maioria das pessoas respira de forma superficial, expandindo para cima o peito. Experimente colocar a consciência nas costelas e senti-las expandindo para os lados enquanto inspira. Juntamente com a respiração ujjayi, você vai sentir a sua capacidade respiratória aumentar bastante em pouco tempo.


3- coordene movimento e respiração
Mesmo que você esteja em uma prática com foco em permanência, sem sequências fluidas, experimente fazer os movimentos de passagem de uma postura para outra utilizando a inspiração e a expiração.

Por exemplo: para entrar uma postura de torção, inspire alongando as costas criando espaço, e expire torcendo. Para sair, faça o mesmo: volte inspirando ou expirando. Você pode entrar e sair de qualquer postura dessa forma, evitando quebras no momento e mantendo o ritmo da respiração constante.


4- mantenha o olhar fixo
Como eu já disse em outro post, olhos inquietos indicam mente inquieta. Exercite a fixação ocular durante a permanência nas posturas como forma de manter a mente presente. Você vai ver como é uma experiência poderosa manter o olhar fixo, a respiração intercostal e em ujjayi. Faça isso com frequência e observe a sua percepção se abrindo para níveis nunca antes imaginados, graças à experiência arrebatadora que é simplesmente estar presente.


5- foco no alinhamento, não na forma
Observe o seu corpo durante as posturas. Se preciso, observe com os olhos primeiro, mas depois tente percebê-lo apenas sentindo. O objetivo do alinhamento na sua prática não é obter uma forma perfeita ou parecer bonito, mas sim obter um nível maior de consciência corporal e avançar nas posturas de forma inteligente.


6- esqueça o que os outros estão fazendo
Se você pratica em grupo, esqueça o que os outros estão fazendo. Sinceramente, yoga e competição não combinam. Esqueça também a competição consigo mesmo, pensando no que você fez na semana passada. Foque no que você está fazendo agora. Às vezes estamos mais fortes, mais flexíveis. Se hoje você não conseguiu aquela postura que conseguiu ontem, qual é o problema? O ontem não existe mais. Faça hoje o melhor possível, e tudo estará em seu devido lugar. 


7- tente praticar pelo menos um pouquinho todos os dias
É melhor fazer 20 minutos todo dia do que duas horas duas vezes na semana. Isso vale para qualquer coisa. Se você faz práticas guiadas, experimente fazer sozinho em casa sequências simples, pranayamas ou meditação. Assim, você começa a incorporar a prática à sua rotina, e cada vez mais a sua vida ficará impregnada de yoga, ao invés de tê-la como uma aula de vez em quando.

Comece pequenininho, com coisas fáceis e confortáveis. Aos poucos, as noções de conforto e facilidade vão mudando, e você naturalmente vai avançando, tanto na prática guiada quanto sozinho.

Para mim, iniciante e avançado em yoga são conceitos que nada tem a ver com a forma ou intensidade das posturas ou tempo de meditação. Para mim, um yogi avançado é aquele cujo senso de presença é inabalável, seja em cima ou fora do tapetinho.

Como já disse o mestre Iyengar, “o corpo é o arco, o asana é a seta, e a alma é o alvo.” Sua consciência não tem limites. Você é hoje o que será para sempre, porque o agora já é o para sempre. Seja agora a presença inabalável, a consciência pura. Você tem todas as ferramentas. :)

Namastê!

soteropolitana, estudante de vedanta, formada em design gráfico, criadora, autora e ilustradora do respire e seus yoginhos. acredita que ser feliz é coisa simples e que yoga é para todos.

Comentários pelo facebook

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>