bolha sabão

Porque você não deveria agir apenas para agradar os outros

Quantas vezes você deixou de fazer algo que precisava ser feito porque ficou com medo de desagradar alguém? Ou deixou de se manifestar plenamente por medo do que essa pessoa iria pensar de você? Do julgamento alheio? Todo mundo já fez isso uma vez ou outra, e é até normal em determinadas fases da vida, mas quando isso vira um hábito recorrente, é um problema sério.

Ao deixar de se manifestar plenamente apenas para poder corresponder a uma expectativa alheia, você mata lentamente a sua autenticidade. Você deixa de ser quem é e se afasta cada vez mais da sua essência. E isso só pode trazer infelicidade e sofrimento, pois você perde a confiança na pessoa que você é, e passa a precisar de migalhas para alimentar a visão frágil que construiu de si mesmo.

O problema está justamente aí: precisar das migalhas alheias para se sentir bem.

Condicionar o seu bem estar e felicidade a coisas externas é caminho certo para a infelicidade, porque as coisas externas todas são instáveis e flutuantes. Não tem como mudar isso.

Você não deve viver em função de apenas agradar os outros porque isso é muito frágil. Por três motivos:

1 – Fazer algo para agradar alguém não é garantia de sucesso. Mesmo fazendo só coisas boas, ainda assim você pode receber uma resposta negativa e consequentemente se sentir infeliz;

2 – Independente do que você faça, seja essa ação boa, ruim ou neutra, pessoas estarão te julgando bem e mal, o tempo todo e sem que você saiba. Algumas pessoas não vão gostar de você simplesmente pelo fato de você existir. É simplesmente impossível agradar a todos;

3 – Por isso, o julgamento que as pessoas têm sobre você é uma questão delas. Tem a ver com os próprios problemas dela, e não com você.

Tentar agradar os outros é, na verdade, uma tentativa de se sentir aceito. Portanto, a necessidade de sempre querer agradar os outros nasce de uma falta de aceitação de si mesmo.

Porque criou uma visão frágil de si mesmo, você precisa da aprovação dos outros para se sentir bem. Se as pessoas demonstram gostar de você, você se sente bem. Se não, você se julga sem valor e se sente mal. Toda vez que você faz algo somente para agradar outra pessoa, em detrimento das suas próprias necessidades, você se diminui de uma maneira negativa, pois está negando o seu próprio valor. Ao negar o seu próprio valor, sua capacidade de contribuir para o mundo fica comprometida, pois falta firmeza e estabilidade na ação.

Mas e porque você faz isso? Porque valoriza demais o outro e não a você mesmo?

Gostaria que você fizesse um pequeno exercício: fique na frente de um espelho, ou ligue a câmera do computador e olhe para a própria imagem. O que você vê?

Predominam características positivas ou negativas?

Agora observe: quando você olha pra outras pessoas, você só vê qualidades, ou consegue enxergar a harmonia do todo. Mas quando olha para si mesmo, só vê defeitos. Já parou pra pensar porque isso acontece?

Você não deve diminuir o seu valor para que ele seja reconhecido. Pelo contrário: se você se diminui para agradar outra pessoa, o ego dela infla e ela vai achar que pode fazer o que quer com você. E essa é a semente dos relacionamentos abusivos. Com isso todo mundo sai perdendo: você, a outra pessoa, as outras pessoas com as quais vocês se relacionam e assim por diante.

Para poder fazer bem a outras pessoas é necessário primeiro estar bem consigo mesmo. E pra estar bem consigo mesmo é preciso estar seguro de si. O primeiro passo para isso é a auto aceitação. Você aceita as outras pessoas como elas são, com todos os seus defeitos e limitações. Porque então não pode aceitar a si mesmo, com todos os seus defeitos e limitações?

Olhe novamente para a imagem de si mesmo, mas agora fazendo um esforço para ver apenas as coisas positivas. Observe a harmonia do todo. Inspire profundo e expire lentamente.

Todo mundo está fazendo o melhor que pode.

Reconheça a si mesmo como é, com todos os defeitos e limitações, e aceite. Só assim você relaxa e não mais vai precisar da aceitação dos outros para se sentir inteiro. Você já é inteiro. Aceite-se e relaxe.

Namastê!

(imagem: reprodução Google Imagens)

soteropolitana, estudante de vedanta, formada em design gráfico, criadora, autora e ilustradora do respire e seus yoginhos. acredita que ser feliz é coisa simples e que yoga é para todos.

Comentários pelo facebook

Comentários

2 comentários sobre “Porque você não deveria agir apenas para agradar os outros

Deixe uma resposta para Carol Garcia Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>