Seja um Yogi agora (parte 2)

0
21
Seja um Yogi agora (parte 2)

Continuando a série Seja um Yogi agora, venho com a parte 2 falar brevemente sobre os NIYAMAS, ou princípios da disciplina, segundo os Yoga Sutras de Patanjali.

Enquanto os YAMAS tratam da relação do Yogi com o mundo, os NIYAMAS são as observâncias que devemos ter conosco para que a pureza predomine todas as camadas da nossa existência, e assim possamos extendê-la à nossa relação com o mundo.


1 – SAUCHA significa limpeza

Limpeza do corpo, do ambiente, da mente, dos pensamentos. Sem limpeza, não há pureza. Por isso a ênfase do Yoga nos exercícios de purificação, ou shatkarmas. Estar sempre com o corpo limpo, nos confere uma profunda sensação de bem estar e leveza. Limpar o corpo é cuidar não só da higiene, como também do que se come. Ao respirar profundamente ar fresco você está praticando SAUCHA, pois está oxigenando o sangue, tornando-o mais fresco, e portanto melhor para banhar os seus tecidos e órgãos. Viver em um ambiente limpo é um estímulo para a mente renovar os padrões de pensamentos. SAUCHA é jogar fora o que é velho e dar espaço ao novo, rumo ao crescimento e ao auto aperfeiçoamento.

Como despertar SAUCHA?

  • Posturas ardha matsyendrasana, marjaryasana
  • Afirmações Meu corpo é o meu templo; Sou puro em pensamento e ação.

2 – SANTOSHA se traduz como contentamento.

Contente não significa ficar à mercê da vida, sendo levado pelo vento, e nem ficar pulando de alegria eufórica o tempo todo, e sim ter consciência de si mesmo e se sentir completo aqui e agora. Significa reconhecer que no momento presente reside a perfeição e a completude, a despeito do que esteja acontecendo. SANTOSHA é sentir-se livre, não ser escravo dos próprios desejos e das frases que começam com “vou ser feliz quando” ou “seria tão bom se”. É aceitar o próprio corpo como ele é, viver com equanimidade diante do prazer e da dor, e reconhecer todas as experiências como fonte de aprendizado.

Como despertar SANTOSHA?

  • Posturas virasana, ustrasana
  • Afirmações Vejo e sinto as coisas como elas são;Sinto-me completo agora.

3 – TAPAS significa austeridade.

É estar sempre em uma atitude de superação e de expansão dos próprios limites através de esforço. TAPAS é viver em função do caminho da disciplina, sabendo que ela parece prender, mas na verdade liberta. Disciplina não significa necessariamente privação, e sim coerência, discernimento e senso de propósito. Acontece que quando você cultiva essas três qualidades, naturalmente começa a querer se privar de tudo aquilo que te impede de vivenciá-las. Ou seja, TAPAS significa ter um propósito e viver de acordo com ele, eliminando da sua vida tudo o que te atrasa ou impede de vivê-lo. Quer ser mais forte? Então exercite a sua força, eliminando o sentimento de fraqueza e não sucumbindo diante da primeira vontade de desistir.

Como despertar TAPAS?

  • Posturas phalakasana, vasisthasana
  • Afirmações Sou forte e disciplinado; Nada pode me parar.

4 – SWADHYAYA é auto-estudo, ou reflexão sobre si mesmo.

É o voltar-se para dentro procurando se observar e reconhecer quais são seus pontos fortes, fracos, o que te faz único e no que você precisa melhorar. Em outras palavras, SWADHYAYA refere-se à capacidade de tornar-se um observador de si mesmo. É estar em constante atitude de vigilância em relação a si, e, o mais importante, ver-se como um eterno aprendiz. Praticar SWADHYAYA é, por exemplo, sentar-se toda noite antes de dormir, pensar sobre as próprias atitudes e se perguntar: “Hoje eu fui uma pessoa melhor do que eu fui ontem? Estou progredindo ou regredindo?”. É saber que nunca se sabe tudo: sempre há algo novo para ser aprendido, pois estamos em constante transformação, assim como tudo na natureza.

Como despertar SWADHYAYA?

  • Posturas urdhva mukha svanasana, anantasana
  • Afirmações Sou um observador de mim mesmo; Estou evoluindo a cada momento.

5 – ISHVARA PRANIDHANA significa entrega ao Todo.

Entrega do corpo, da respiração, da mente, do ego, da alma. ISHVARA PRANIDHANA significa entregar-se completamente a Deus, a um propósito maior, ao divino que existe em nós, à inteligência superior ou ao que quer que você acredite, como quer que queira chamar. Significa confiar no ciclo da vida, na bondade das pessoas e no amor que nos une a todos, bem como levar esse senso de entrega a todas as nossas ações e pensamentos. Dessa forma, o Yogi enxerga todas as suas ações e seus frutos como pequenas e humildes oferendas à humanidade.

Como despertar ISHVARA PRANIDHANA?

  • Posturas surya namaskarsavasana
  • Afirmação Eu me entrego, de corpo e alma, ao serviço da humanidade.

Se prestarem atenção, perceberão que todos os yamas niyamas estão interligados e mesclados por barreiras invisíveis, separados por nomes apenas por uma comodidade didática. Não dá pra praticar um sem os outros, e ao praticar firmemente um deles você está automaticamente despertando os outros. Mas ainda assim, para mim, Ishvara Pranidhana é o rei dos yamas niyamas. Vou dizer porquê!

Vamos supor que você quer dar um presente a alguém que você ama muito. Você daria propositadamente algo ruim, estragado ou que a pessoa não goste? Ou você escolheria com o maior cuidado aquilo que você poderia oferecer de melhor, e que ainda por cima agrade a pessoa? Pois é. Ishvara Pranidhana é esse sentimento de que tudo na vida é um presente que damos a alguém, e portanto estamos constantemente cultivando o que há de melhor em nós para oferecer. Cultivamos o que há de melhor em nós através da prática dos yamas e niyamas. Por causa desse sentimento de entrega, buscamos purificar nosso corpo e nossa mente, agir corretamente com as pessoas e outros seres, sempre com contentamento, disciplina e um senso de auto-observação. Tudo isso somente para poder oferecer aos outros aquilo que há de melhor em nós.

Como pode ver, o caminho do Yoga é, antes de mais nada, um conjunto de atitudes internas. Sem ter pelo menos uma perspectiva dessas observâncias, fica difícil ter a experiência real dos asanas e pranayamas (os dois próximos passos no caminho como compilado por Patanjali), transformando a prática em meros exercícios físicos e respiratórios, ou seja, enterrando todo o tesouro do Yoga. 🙂

Eu sugiro um exercício: escolha um yama ou niyama para praticar firmemente por uma semana e veja o que acontece. Veja se outras atitudes também começam a mudar automaticamente. 

Se você já pratica, como vivencia os yamas niyamas na sua vida e na sua prática de Yoga?

Namastê!

Deixe uma resposta