Home AlimentaçãoVegana Um vegetariano incomoda muita gente?

Um vegetariano incomoda muita gente?

by Daniela Navaes
Um vegetariano incomoda muita gente?

É preciso ser vegetariano para ser um yogi de verdade? Só sendo vegetariano você está livre de não-violência? Esse é um assunto que mexe com muitas pessoas.

Existem alguns fatos que não podemos negar:

  1. A indústria de criação, exploração e abate de animais é cruel, poluente e nada sustentável.
  2. Animais têm consciência, sentem medo e dor.
  3. Uma dieta vegetariana é, genericamente falando, mais benéfica ao ser humano.

Ah, já sei: esse é um daqueles textos que querem convencer as pessoas a se tornarem vegetarianas, certo? Errado.

Por mais que os fatos sejam claros, a decisão de se tornar vegetariano é algo que deve partir somente de você. Não da televisão, não de um artigo científico, não do seu professor de yoga nem de alguma instituição. Tem que vir somente de você.

Você pode gostar de ler: Veganismo: aderi e eis o que descobri

Vivemos em uma cultura “carnista”. A palavra é auto explicativa. Fomos criados ouvindo que uma refeição não está completa sem carne, e por isso crescemos comendo carne. É uma coisa tão natural que muita gente nem para e pensa de onde aquilo vem e porque come. Mas hoje, graças à internet, as pessoas estão cada vez mais tomando ciência dos fatos que cercam essa indústria, se questionando e mudando hábitos. É fato que está se falando mais e mais sobre o assunto, sobretudo os meios de yoga.

Mas tem outra coisa que é certa: tornar-se vegetariano não vai te tornar uma pessoa melhor. Nem pior. Vegetarianos são pessoas como todas as outras. E o que faz as pessoas serem boas ou ruins são suas escolhas, seus pensamentos, suas atitudes perante os outros. E não o que elas comem.

Não é a ação por si só que determina sua pureza ou não. É a intenção por trás da ação. Toda ação que é livre de interesse egóico é uma ação pura. Ou seja: ser vegetariano pra mostrar pros outros o quanto é evoluído não é uma ação pura, pois está cheia de interesse pessoal.

Minha opinião pessoal?

Eu acho que ser vegetariano faz bem à saúde? Sim.
Acho que é melhor inclusive para a saúde mental e espiritual? Sim.
Acho que é uma atitude que faz bem aos animais e à saúde do planeta? Com certeza.
Acho que é pra todo mundo? Sim, porque não?
Acho que devo ficar convencendo as pessoas à minha volta a se tornarem vegetarianas? De jeito nenhum.

Desconfie de instituições que querem regular o que você come. Principalmente se for através da culpa e do apelo emocional. Algumas pessoas fazem isso, mas fazem por ignorância, por estarem apaixonadas por uma causa. O problema é quando isso se instala em um discurso institucional. Uma coisa é expor um ponto de vista utilizando bons argumentos, fazendo sugestões. Outra bem diferente é impor através de discurso manipulador e material gráfico desnecessário. É preciso discernimento pra perceber diante de qual deles nós estamos. Diante do segundo, nem discuta, simplesmente caia fora. Assim como qualquer coisa na vida, devemos refletir sobre o assunto e ouvir o próprio corpo antes de tomar qualquer decisão. Tomar atitudes baseadas em emoções fortes é totalmente o contrário da filosofia do Yoga.

Eu acho sim que o assunto deve ser trazido para discussão; que pontos de vista em prol de uma alimentação livre de animais devem ser expostos, até para que sejam desfeitos alguns mitos, como que não é possível obter proteína suficiente de fontes vegetais, que o leite é a melhor fonte de cálcio, entre outros.

O problema é que existem pessoas que abraçam a bandeira do vegetarianismo e acham que isso por si só as torna mais puras e melhores do que as outras. E, no seu afã de querer defender os direitos dos animais, acabam sendo cruéis e nada compassivas com outros seres humanos.

Nós devemos sim nos preocupar com o que nós estamos fazendo com os animais, bem como buscar uma alimentação mais saudável, contanto que isso não esteja cercado de culpa. Não tem nada de errado conversar sobre o assunto, fazer sugestões às pessoas ao nosso redor, contanto que isso não seja um ataque a elas.

Algumas pessoas podem não se adaptar logo de cara a um estilo de vida vegetariano. Ou simplesmente podem não querer ser vegetarianas nesse momento. E isso é perfeitamente normal e aceitável. Nós não devemos nos forçar a fazer nada que nos cause desconforto, mas por outro lado precisamos ter discernimento para saber reconhecer o desconforto do que faz mal e o desconforto natural de todo processo de transformação. Isso se resume a uma coisa: ouvir o que diz nossa consciência.

Então, se você quer se tornar vegetariano, vá fundo. Mas tenha em mente uma coisa: a mudança só é verdadeira quando vem de dentro, de uma forma natural. Ninguém se torna melhor ou mais espiritual do que os outros porque parou de comer carne. Sobretudo se ainda existe a vontade de comer carne. Tornando-se mais espiritualizado e purificando o corpo e a mente, entretanto, talvez você não sinta mais vontade de comer carne. É assim, simples.

Como eu já disse: eu acho que ser vegetariano é uma coisa boa? Sim, acho. Acho que quanto mais pessoas se tornarem vegetarianas, melhor pra todo mundo: pra elas, para os outros e pra o planeta. Mas eu acho que melhor ainda é ter discernimento, aprender a ouvir a si mesmo e não se deixar manipular pelos outros.

Seja consciente, não se deixe levar pelo discurso alheio. Pesquise, reflita sobre o assunto, se for o caso experimente e veja como se sente. Experiência vale mais do que um milhão de palavras. E uma coisa é certa: vale a pena experimentar.

E você, o que pensa sobre o assunto?

Namastê 🙂

Leia também

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais